Páginas

sexta-feira, 28 de julho de 2017

A internet continua a mesma


Resultado de imagem para influencers

Há algum tempo eu ensaio postar aqui, vejo os títulos dos posts na pasta de rascunhos e acabo desistindo. Ao mesmo tempo que finalmente estou vivendo uma rotina que me trouxe uma tranquilidade emocional razoável e eu me sinta pronta pra fazer várias coisas, inclusive manter assiduidade por aqui, fico desanimada pra investir tempo nessa função. Vou tentar explicar... Diariamente, vivo conflitos internos com relação à exposição de conteúdo irrelevante e os excessos do mundo têm me deixado bastante incomodada. 

Constantemente, vejo as blogueiras-youtubers-influencers fazendo reformas grandiosas em apartamentos, casas e afins. Não que isso tenha algum problema, óbvio. Estou falando de excessos. Tem gente que muda decoração da casa todo ano porque isso é conteúdo vendável e essas pessoas trabalham com "views". Algumas encontram necessidade de ter mais de uma casa. É muita decoração de "cantinho de gravar vídeo" pra dar conta. Decorações que mudam sempre. Por que todo mundo enjoa de tudo tão rápido? Estou há 15 anos com a mesma decoração de quarto e não morri. Eu até concordo que é um cômodo que precisa ser aconchegante, ter a ver com o dono, blá blá blá... Já comentei por aqui que pretendo mudar em breve, mas sem muita urgência, sabe? E, quando mudar, obviamente não vou enjoar com 2 anos. Ou menos. Vai permanecer por bastante tempo ou até que algo de relevante aconteça e eu precise mudar de apartamento.

Fico imaginando o tipo de perfil adolescente que está sendo construído nesse mundo descartável e tóxico. Porque vamos combinar que as pessoas públicas da internet exercem uma influência substancial na vida desse tipo de público, e gente que não faz parte da classe privilegiada deve sofrer um bocadinho na tentativa de alcançar algo parecido.

Não quero ser esse povo chato que implica com tudo, nunca foi do meu perfil parar pra criticar radicalmente nada porque cada ser humano habitante da face dessa terra possui interesses e aspirações diferentes. Cada um segue e assiste pessoas com as quais se identifica. O que me irrita é que parece que todos os assuntos que as principais influencers tratam incentivam o consumo desenfreado. É muito exagero. De coisas, de looks, de casa e até de viagens. Inclusive eu tenho a sensação de que algumas só viajam pra ter um feed bonito no instagram, né? Não tô condenando quem posta foto de viagem, longe disso! Não é a ação que incomoda, sim o propósito. Exceto o feminismo, que já ganhou certa notoriedade na rede, não vejo nenhum assunto legal sendo compartilhado com força na internet. Parece que anos se passaram e o mesmo tipo de conteúdo continua fazendo sucesso.

Eu ando bem cansada desse contexto que a internet oferece. Penso que o desânimo causado por todo esse universo demasiadamente consumista e sem propósito tem contribuído para que eu negligencie esse espaço. É duro caminhar na contramão. Paradoxalmente, o mesmo motivo me faz querer continuar aqui produzindo um conteúdo de moda e expondo um estilo de vida mais acessível, consciente e compatível com a realidade da maioria. Se uma, duas ou três pessoas que pararem pra ler esse blog se sentirem estimuladas a mudarem minimamente seus hábitos de consumo, pra mim, já é de uma grandiosidade e alegria inenarrável. 


Besos,
Jess.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Migos, comentem aí! :D haha