Páginas

terça-feira, 28 de junho de 2016

Dicas para escolher imagens para seus quadros

Fonte: Pinterest.


Uma das coisas que mais gosto em decoração são as paredes galerias, aquelas que parecem uma exposição de quadros. Adoro ver como as pessoas escolhem as imagens e, na minha opinião, diz muito da personalidade de cada um. Não sei vocês, mas eu gosto de tanta coisa que fica difícil escolher o que colocar na parede. Tenho lua em libra, então não tinha como a indecisão não fazer parte da minha vida. #soumística kkkkk  Foi daí que eu criei um método que me ajudasse a compor uma parede de quadros bacana e resolvi compartilhar aqui, vai que ajuda. 

Primeiramente, acho válido você fazer um estudo sobre sua personalidade, avaliar quais são seus hobbys e gostos pessoais fazendo perguntas a si mesmo, por exemplo, de que animais você mais gosta? Quais cidades você ama e fazem sentido pra você? Qual seu perfume favorito? Existe alguma filosofia de vida que você acredita? Respondendo a essa perguntas você pode ir selecionando imagens que ilustrem suas respostas e que, consequentemente, traduzam sua personalidade.

Eu, por exemplo, amo cachorro, tenho uma verdadeira simpatia por flamingos, sou adepta do minimalismo, entusiasta do movimento slow fashion, tenho sonho de conhecer Paris e Londres, sou apaixonada por ballet desde criança - embora tenha começado a fazer aulas já adulta - e não sei de cabeça a posição dos países nos continentes. Por aí já dá pra saber o que eu vou selecionar pra montar a minha, não é mesmo? Já adianto que um mapa não vai faltar! #antageográfica hahaha

Você também pode usar imagens de quadros dos seus pintores (Frida s2!) ou ilustradores favoritos, frases legais, capa do seu CD favorito ou filme, enfim. É só usar criatividade e vasculhar a internet à procura de tudo isso e compor a sua parede galeria. Andei separando algumas imagens e não vejo a hora de montar a minha!

Besos,

Jessy.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Desafio cumprido e Wishlist consciente: 10 itens para aquisição imediata.

Foram 90 (eu disse NO-VEN-TA) dias sem comprar nadinha. Esses dias de detox consumista foram essenciais pra que eu pudesse adquirir consciência de consumo. Aprendi a ir ao shopping e não levar nada, a encher carrinhos de loja online e ver os itens acabando sem sucumbir à vontade de passar o cartão de crédito e me controlei diante de promoções bafônicas. É engraçado porque só agora sinto que sou dona de mim, que tenho um cérebro pensante e que os desejos imediatistas não me impulsionam mais. Essa sensação de controle é surreal de boa.

Terei 9 dias pra comprar o que quiser até o próximo desafio dos 180 dias, vamos ver como eu me saio! Em outros posts já comentei que uma das facilidades que o armário cápsula proporciona é justamente o direcionamento das compras. Em vez de sair comprando por impulso (prática que a gente quer abolir), dá pra pensar bem e elaborar de forma consciente uma listinha das coisas que você percebeu que de fato faltam no armário. Mas primeiro vamos falar sobre as percepções e descobertas válidas que tive nesse período e como o armário cápsula motivou as minhas compras.

Durante a minha trajetória fashion, acho que demorei a entender algo que todos que têm o mínimo de noção de moda diziam: 

"Os assessórios dão o tom do look." 

Não é nem que eu não tenha entendido, claro que eu sempre soube, mas sei lá o porquê na minha vida eu sempre dei mais importância às roupas. É o que primeiro as pessoas olham, e, pelo menos pra mim, sempre teve peso maior na hora de escolher como saio de casa. Não sou daquelas que começam escolhendo os sapatos, até porque nunca tive muitos. Eles eram basicamente um tapa-buracos, algo que eu praticamente ignorava e, por isso, tenho os mais básicos que alguém pode ter. hehe E com as bolsas, o pensamento permanece e talvez seja um pouco pior, vaidade quase 0 com bolsa. Nunca tive coragem de pagar caro em alguma. Mas como vamos melhorando nosso nível de consciência ao longo da vida, mudando de opinião e de gostos, eu acho que estou mudando isso também. 

Como já adquiri uma quantidade bem razoável de peças de roupa, foi nesse armário cápsula que eu percebi a importância dos acessórios! Pude notar que tenho boas peças de roupas no armário e que não preciso comprar muita coisa, ufa! Já os sapatos são uma decadência! A maioria estavam bem velhos, tive que me desfazer de 3 - duas sapatilhas e a minha sandália bege de guerra que praticamente não saiu do meu pé durante uns 3 anos da vida. Essa sandália, coitada, foi uma guerrilheira mesmo. Aguentou sambas, lama, shows, passeios intermináveis em shopping, etc. Era sempre a minha escolhida nas ocasiões em que eu precisava calçar algo que fosse confortável. Detalhe que a bichinha já tinha passado até por uma cirurgia, quando as tachinhas do salto começaram a cair, eu fui num sapateiro e ele teve a brilhante idéia - só que nunca - de colocar uma fita dourada pra tapar os buracos. Ficou horrível, mas o amor era tanto, que eu ainda a usei um montão e só me desfiz dela agora. #luto #sniff

Notei que ao contrário do armário cápsula, sempre tive uma sapateira cápsula e que já usava "as boas práticas do consumo consciente" - consertos, comprar menos, usar até não poder mais, dentre outras -  nos sapatos e bolsas. Mas, com o passar do tempo, começou a me incomodar o fato de ter tão poucas opções porque me limita na hora de escolher o que vestir já que os assessórios salvam a carinha sem graça de um look básico. Estou numa fase de sapatos baixos e tenho poucos bonitinhos. Foi aí que eu decidi que preciso ter mais variedades nesse quesito e foi pensando nisso que eu montei a minha primeira whishlist consciente da vida:


1 ~ Sandália bege salto bloco comfy

Eu dei minha sandália de guerra portanto preciso de outra combatente com as mesmas características e eficiência, tipo essa aí. :)

2 ~ Gladiadora branca

Já faz um tempo que eu me apaixonei pelas gladiadoras rasteiras, são confortáveis e estilosas, e essa branca é só amor, gente. #vemnimim hahaha

3 ~ Sandália Jeans

Assim, não é que eu precise de uma sandália tão específica, tipo jeans. Mas eu preciso de mais sandálias confortáveis e diferentes pra ter mais opções pra usar no dia a dia quando quiser fugir um pouco dos tênis e sair mais arrumadinha. Essa aí me pareceu uma boa opção.

4 ~ Ankle boot 

Tenho só uma preta que já está ficando bem desgastada de tanto que uso. Ela só falta caminhar sozinha... Pra dar uma folga pra coitada, melhor uma companheira pra revesar.

5 ~ Bolsa branca 

É um dos assessórios que mais têm me chamado atenção nos últimos tempos. Na minha opinião elas dão um ar de riqueza ao look, são fáceis de combinar e eu decidi que preciso da branca também. O único problema é que devem sujar um bocado. grrrrr, nem tudo é perfeito.

6 ~ Bolsa preta

Alerta desespero: ION-ION-ION! Pode alguém na vida não ter bolsa preta? Se eu mesma acho errado não ter bolsa preta, que é o básico do básico, porque vou permanecer nesse erro, não é mesmo? cof, cof!

7 ~ Bolsa saco

Cinza é minha cor favorita do momento, já que vou ter que ter bolsas preta e branca, a cinza também tem prioridade. haha Amei essa com modelo de saco.

8 ~ Calça Pantalona branca

Eu amo calça pantalona, além de chiques são muito confortáveis, e de quebra ainda alongam a silhueta. Tenho só uma azul marinho que já usei nesse armário cápsula e não me imagino sem uma no próximo.

9 ~ Calça Boyfriend

Já faz tempo que eu ensaio comprar uma calça assim e por algum motivo, que nem eu sei explicar qual é, nunca comprei. Como já faz tempo que quero e continuo querendo, resolvi adicionar na minha lista.


10 ~ Calça jeans preta rasgada no joelho

Eu descobri que tenho poucas calças usáveis no dia a dia e com essa pegada mais despojada. Só amor por esse modelo, portanto... err.


É isso aí, agora vou ali comprar todos os itens e já venho!

Besos,

Jessy.

sábado, 18 de junho de 2016

Inspirações para a próxima cápsula

Faltam apenas 4 dias para o minha cápsula de outono acabar e estou em processo de buscar inspirações e decidir como vai ser o "Mood" dos próximos 3 meses. É como uma criação de uma coleção, só que dentro do próprio guarda-roupas e confesso que é algo que além de me por a pensar, me diverte! Eu gosto desse processo criativo envolvendo roupas, seja o styling (com as peças já prontas) ou a criação da peça mesmo, escolher tecido, modelo, cores, enfim. 

Como vocês puderam perceber, essa cápsula de outono teve uma pegada bem minimalista e, por isso, a criação foi bem simples. Escolhi 5 cores neutras que combinavam entre si e selecionei algumas peças novas que queria inaugurar e outras já existentes por aqui que eram preferidinhas. *Vejam como criei meu primeiro armário nesse post! E em uns 30 min a "coleção" estava pronta! Amei passar esses três meses experimentando da "praticidade minimal", é impressionante como o trabalho diário diminui e simplificar a vida foi o motivo-chefe pelo qual eu me enfiei em todos esses projetos.

Pois bem, o fato é que eu percebi que estava usando muito só preto e branco, quase nada de estampas e a "vida fashion" estava não só simples, mas também um pouco monótona. Apesar de gostar muito desse estilo mais "limpo", passei a sentir falta de usar mais cores e estampas e foi a partir dessa vontade que estou buscando inspirações pra adicionar cores no próximo armário. O intuito é equilibrá-las com o preto e branco e tentar fazer mais sobreposições quando o calor por aqui permitir. Algo também que me encanta bastante é justamente a mistura. Gosto de misturar cores, estampas, texturas, estilos, enfim. Como reduzir todos esses "gostos" num armário com poucas peças e ainda fazer tudo combinar? Eu não sei, mas por enquanto vamos ver as inspirações que andei encontrando por aí?


 Adicionar uma corzinha à estética minimalista já dá uma outra carinha, né? 


Acho lindo, fashionista, e vou tentar essa difícil missão de adicionar mais estampas na cápsula.


Porque tem dias que a gente quer usar a mesma cor em tudo, acho chiquérrimo.


Como eu senti falta de looks all jeans, seja com saia, shorts ou calça. Na próxima tem que ter!



Amo coletes, é a única sobreposição que dá pra usar aqui durante o dia sem morrer cozida.


Besos,

Jessy.

-Todas as imagens foram encontradas no pinterest.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Mudanças de hábitos

Estou cada vez mais convencida de que não precisamos fazer coisas extraordinárias pra ajudar o mundo e apenas alguns ajustes ou pequenas mudanças de hábitos são suficientes para que tenhamos uma grande contribuição. Há algum tempo estou nesse processo de elevação do nível de consciência com o planeta e, embora ainda falhe em muitos aspectos, tenho melhorado aos poucos. Selecionei pra vocês algumas medidas simples que tenho adotado diariamente para economizar água e fazer um descarte mais correto de coisas que iriam para o lixo. Coisas bobas que dependendo da situação de cada pessoa, dá pra fazer sem maiores dificuldades. Peço que deixem o nojinho de lado e vamos a elas! 

1 ~ Xixi e cocô sem papel higiênico


Já notaram o quanto gastamos de papel higiênico diariamente? Parei pra raciocinar um pouco e descobri que não preciso usar papel a cada vez que for ao banheiro. A princípio parece nojento, mas eu explico: tenho uma ducha disponível no banheiro e, após o xixi, uso um jatinho de água e seco com uma toalha, simples assim. Diariamente faço isso em casa e não tem dificultado em absolutamente nada a minha vida. Papel higiênico uso só quando estou com muita pressa, o que quase não acontece, mas deixo sempre no banheiro para o dia que receber alguma visita. A regra é a mesma para o número dois, só acrescento a etapa do sabonete íntimo por motivos óbvios. hehehe Aí vocês perguntam: tá, mas isso gasta água então de que adianta? Sim, gasta, mas na produção de papel higiênico se gastam muitos litros de água além de outras matérias-primas como a madeira. Vamos fazer um cálculo rápido? Cada árvore contém 100 rolos de papel e uma família de três pessoas gasta em média um rolo de papel higiênico por dia, portanto 1 árvore em um pouco mais de 3 meses! São muitas árvores gastas com merda, literalmente. Sinto que precisamos mudar isso.

2 ~ Não dar descarga a cada vez que for usar o banheiro pra fazer xixi


Essa dica eu ouvi de um professor meu de química na escola, ele orientava os alunos a acumularem de dois a três xixis para economizarem água de descarga, que geralmente gastam em média uns 6 litros de água para limparem os vasos. É muito, né? Bom, eu tomo água direto, vou ao banheiro o tempo todo e, consequentemente, meu xixi normalmente não é muito concentrado. Super tem dado certo fazer isso! O cheiro não incomoda, deixo a tampa fechada e chego a acumular até uns 4 xixis. Tem gente que vai achar isso nojento, mas o banheiro é só meu, trata-se apenas do meu xixi, portanto eu lido bem com ele. #euamomeuxixi #xixilovers kkkkkkkk

3 ~ Desligar a torneira e chuveiro quando não tiver usando


Essa dica é muito primária, aprendemos na escola durante o jardim 1, entretanto, ninguém a executa. O tanto de economia que temos quando desligamos o chuveiro e a torneira no momento em que não estamos usando é surreal, não sei por que motivo a gente não dá importância a isso! 



4 ~ Consertar vazamentos (com urgência)


Uma das coisas que mais me dá aflição na vida é desperdício de água, e ainda mais quando é por descuido e falta de iniciativa. Verificar possíveis vazamentos e consertá-los é um dever de todo mundo que tem o mínimo de compromisso com o coletivo. Às vezes o fato de morarmos em prédios e termos nossas contas de água inclusas junto com o condomínio nos deixa alheios à coisas importantes, como saber o quanto efetivamente gastamos de água e, por isso, acabamos deixando pra lá esses consertos achando que é bobagem. Tenho uma amiga que mora sozinha e lembro de algumas vezes que fui na casa dela e aquele "plac! plac!" da torneira pingando era constante. A cada "plac" eu não conseguia sequer prestar atenção na conversa (sim, devo ter algum tipo de TOC), questionei por várias vezes aquela situação e ela dizia que ia mandar arrumar. Passaram anos, ela se mudou do apartamento e não sei se consertou. Não quero nem pensar quantos litros escorreram ralo a baixo naquela pia sem destino nenhum. :(

5 ~ Separar o lixo da sua casa


Acho que esse tópico é o mais difícil de se implantar numa casa, pelo menos no meu caso, porque é algo que depende muito da boa vontade das outras pessoas também. É preciso bolar uma logística de descarte e isso dá um certo trabalho. Já tenho começado a separar embalagens de cosméticos e perfumes que acabam e estou guardando até saber qual o melhor descarte para elas. Cervejas e vinhos, quando tomamos por aqui vão pro lixo separado, e caixas de papelão eu sempre guardo pra coleta seletiva que passa na minha rua recolhendo. Acho que os grandes supermercados deveriam ter uma política de devolução de embalagens, às vezes o consumidor até quer fazer o descarte correto mas não sabe por onde começar. Eu também quero descobrir, portanto vou pesquisar mais a respeito e quem sabe faço um post sobre isso aqui. :)  


Me contem vocês, mais alguma dica que queiram compartilhar?

Besos, 

Jessy.


terça-feira, 7 de junho de 2016

Ideias baratas para o dia dos namorados

Eis que chegou a semana do dia dos namorados aqui no Brasil, confesso que já fui muito clichê nessa data mas, ultimamente, tenho me incentivado a  fugir do óbvio - acho que ando meio cansada de fazer tudo do mesmo jeito, sabe? Ao contrário do que todo mundo pensa, o dia dos namorados não precisa ser uma data consumista em que todos os casais têm as mesmas ideias. Eu gosto de celebrar a união, de dar e ganhar mimo (nada de presente caro, mas simbólico), de destinar um tempo só para ficar junto, enfim, acaba sendo uma oportunidade de fortalecer os laços. 

Fiz duas exigências para o boy esse ano, a primeira foi que eu queria passar longe dos restaurantes, que nessa época ficam com filas quilométricas, entupidos de gente e barulhentos. Essa, na minha opinião, é a menos romântica das opções. Não me sinto confortável de jantar em algum lugar onde tenham pessoas esperando pra ocupar a mesa, o tempo acaba ficando cronometrado e as coisas não fluem como deveriam. A segunda foi que não queria ganhar presente. Refiro-me a presente como qualquer coisa aleatória que se compre: roupa, sapato, bolsa, bijus, etc. Estamos em fase de contenção e tentando não gastar com coisas que não precisamos, fora que essa é uma data em que a lembrança conta mais que o presente e, portanto, ninguém precisa gastar fortuna com presentes.

Existe uma infinidade de coisas pra fazer e, dentre as diversas opções o casal deve escolher a que mais se encaixa dentro das suas condições, podendo ser uma viagem, piquenique, um passeio diferente dentro da cidade, um dia inteiro de programações - desde o café até o jantar, enfim, tem que abusar da criatividade. Foi me perdendo pelo pinterest que achei muita coisa legal e resolvi reunir algumas ideias que podem clarear a mente de quem, assim como eu, além de não querer gastar dinheiros, não têm tanta criatividade assim para essas coisas. 


Fonte: Pinterest.

1 ~ Acampamento: para aqueles casais que gostam de se aventurar, é uma boa pedida. Imagine você, seu amor e um céu estrelado.  
2 ~ Ideia de presente: cactos (ok, essa é uma indireta e espero que o namorado esteja atento).
3 ~ Praia: passeando de mãos dadas e de quebra subir numa duna pra assistir a um pôr-do-sol incrível. Quem puder fazer isso não deveria pensar duas vezes. :)



Fonte: Pinterest.


1 ~ Jantar romântico: é clichê, mas não tem muito como fugir disso. Namorar nada mais é do que engordar juntos, portanto, trate de aprender a fazer o prato favorito dele(a) e ENJOY!
2 ~ Cinema em casa: tem coisa melhor que ficar grudado comendo pipoca e vendo filmes legais? Desconheço.
3 ~ Ideia de presente: árvore com mini fotos do casal. Aun! Achei fofo.


E vocês, alguma ideia que gostariam de compartilhar?

Besos,

Jessy.




quinta-feira, 2 de junho de 2016

Armário-cápsula: erros, desvantagens e aprendizados.

Fonte: Pinterest (adaptada)

Já havia dito anteriormente que viria aqui expor as dificuldades que encontrasse pelo caminho nesse processo de transição e, portanto, cá estou. Vou falar sobre o armário-cápsula, que é uma ferramenta muito útil pra quem busca simplificar a vida, porém muito individual e demanda cuidados na sua elaboração. Inicialmente eu tinha a sensação que tinha feito tudo certo, as cores estavam muito harmônicas e combinadinhas mas, aos poucos, na prática, fui percebendo alguns erros cruciais que havia cometido na montagem e, para que vocês não cometam os mesmos, vou listá-los aqui:


1 ~ Não coloquei Shorts Jeans


Que pessoa não coloca shorts jeans? Em qualquer estação acho que shorts jeans é peça essencial. Primeiro, jeans é democrático, vai com tudo, tente imaginar a sua vida 3 meses sem shorts jeans e, antes de dispensá-lo achando que não vai fazer falta, pense nisso. Arrependimento define.

2 ~ Não coloquei sapatilha


Coloquei tênis e sapatilha não. Também acho essencial, pelo menos uma neutra tem que ter. No meu caso, não coloquei porque as minhas estavam bem velhinhas e acabei me desfazendo antes de montar o armário. Coloquei 3 sapatos de salto alto, quando estou numa fase que só tenho vontade de usar sapato baixo. Acho que quis sair da zona de conforto e me obrigar a usar mais saltos e acabei desenterrando alguns sapatos que não usava com tanta frequência, algo que por um lado até foi bom, mas não me senti confortável. Estou usando muito mais o tênis e a gladiadora bege e, portanto, vou respeitar a minha fase no próximo armário.

3 ~ Não coloquei terceira peça


Como terceira peça muda a roupa, né? Aqui não posso abusar muito porque é calor o tempo todo, mas colete rola e blazer à noite também. Certamente terei mais cuidado com isso da próxima vez.

4 ~ Incluí as bolsas (e não tinha pra quê)


Esse erro eu percebi desde o primeiro dia que inventei de fazer o armário, mas foi opção minha permanecer usando as mesmas bolsas, porque se pra sapato vale não vi lógica não limitar as bolsas também e, como não tenho muitas, nem fez tanta diferença. Mas com certeza é algo que vou liberar para o próximo armário, assessórios mudam o look e vou testar ficar ao menos sem essa limitação porque acredito que não vá dificultar tanto a minha vida.

5 ~ Saudades de peças que não estão no armário


Esse tópico não é um erro, tá mais pra uma "desvantagem", entre aspas porque depende do lado que se vê. Lembro de um dia que queria usar um look all jeans e não pude. Me deu uma saudade de uma camisa jeans que usava quase como farda e de uma calça destroyed cintura alta que me veste maravilhosamente bem. Mas aí, olhei pra minha cápsula e fiquei feliz de poder usar a minha pantacourt e outras peças que gosto bastante, controlei a vontade e programei mentalmente incluir essas peças no próximo armário. É uma situação que a pessoa tem que lidar e um exercício pra aprender a esperar o tempo das coisas. Se estou querendo me livrar do imediatismo, de alguma forma essa limitação me ajuda a controlar as vontades repentinas e compulsivas. Quando for comprar novamente, provavelmente terei aprendido a ter mais calma e acho isso muito válido. Percebem como não é difícil enxergar o lado bom? :D

____________________________________________________________________________

Continuo achando o armário-cápsula uma ferramenta muito boa para quem está precisando clarear a mente, ter novas ideias, aproveitar melhor o tempo, dentre outras coisas. Eu me adaptei facilmente, mas acredito que nem todo mundo é feliz com pouco, e essa limitação que, para uns pode ser facilitadora, para outros pode ser causadora de conflito. Aconselho que testem sem radicalismos e vejam se é praticável no dia a dia e, se não for, desistam. Devemos partir da premissa que o objetivo é simplificar, se não simplificou, o objetivo não foi atingido e ponto final. Acredito também que pode ser uma ferramenta transitória, que em alguma fase da vida as pessoas podem precisar e, em outras não, fica a critério de cada um. Por enquanto vou continuar usando mas nada impede que amanhã eu não queira mais porque não se encaixa. :)


Alguém já experimentou e quer compartilhar sua experiência?



Besos,

Jessy.